Conceito e prática de TMPI

Bases teóricas de la Terapia Manual Pediátrica Integrativa

A Terapia Manual Pediátrica Integrativa (TMPI) visa integrar a terapia manual e a fisioterapia pediátrica do desenvolvimento.

A terapia manual tem revelado ao longo destes últimos anos um aumento notável na evidência através de numerosas publicações científicas onde os seus benefícios foram objectivados em numerosas disfunções do sistema musculo-esquelético. Embora os seus efeitos tenham-se demonstrado mais na população adulta do que na população infantil, alguns dos benefícios, como o ganho de mobilidade articular ou certos efeitos sobre a inflamação e a dor, podem ser extrapolados para a população infantil.

TMPI visa desenvolver meios de avaliação e tratamento para recém-nascidos e crianças cujas características anatómicas exigem uma adaptação metodológica dos sistemas clássicos de avaliação e tratamento em terapia manual. A terapia manual é necessária em diferentes disfunções na infância como o torcicolo congénito e em áreas tão variadas como a ortopedia ou a neurologia pediátrica.

Por outro lado, a fisioterapia pediátrica conta com estudos que suportam e justificam os seus sistemas de avaliação e tratamento. Foram assim desenvolvidas Escalas confiáveis para objetivar o neurodesenvolvimento das crianças, tanto em populações com afecções neurológicas como, em crianças sem patologia específica. Também tem sido observada na literatura, uma considerável incidência de dificuldades de atenção e aprendizagem na população infantil, em que disfunções sensoriais e motoras sem lesão neurológica objetiva são verificadas por exames de imagem. Nestas crianças, suspeita-se de uma possível diminuição da maturação neurológica em que há dificuldades de controlo do equilíbrio, oculomotoras, vestibulares, entre outras. TMPI propõem uma abordagem da fisioterapia pediátrica baseada na estimulação sensorial, nos padrões motores e posturais da construção ontogenénica do bebé e na estimulação dos automatismos que suportam um óptimo funcionamento do sistema nervoso.

Prática de TMPI

A prática de TMPI integra de uma forma excepcional a terapia manual e a fisioterapia do desenvolvimento. Por outras palavras, uma compreensão da relação entre a estrutura e a função, que era essencial, mas igualmente desconhecida na fisioterapia pediátrica.

TMPI permite a avaliação e tratamento de distintas alterações musculo-esqueléticas no bebé e na criança que podem afetar a sua saúde, o seu desenvolvimento ou futuros problemas de aprendizagem e do comportamento. Ao contrário da osteopatia pediátrica, a avaliação do neurodesenvolvimento de bebés e crianças é um aspeto essencial, bem como, a integração da família no processo de tratamento por meio de trabalho realizado em casa e com o qual os melhores resultados são alcançados.

No bebé

TMPI permite uma boa avaliação do desenvolvimento neuromotor e sensorial do bebé e a deteção de alterações articulares, tecidulares ou cranianas que podem estar a interferir com o seu desenvolvimento.

Com TMPI é possível tratar de uma forma muito eficaz cólicas, torcicolos congénitos, irritabilidade, alterações digestivas, deformações cranianas, plagiocefalias, etc. Tudo isto atrvés de técnicas manuais suaves mas muito detalhadas e extremamente eficazes.

Dentro da visão integrativa é essencial ajudar os pais a estimular os padrões motores e sensoriais que o bebé precisa em cada etapa. Desta forma, as crianças usarão imediatamente os intervalos de movimento e controlo obtidos em cada sessão e assegurarão os resultados pelo integração da função.

Assim, a intervenção é equilibrada entre a eficácia do tratamento manual e a educação familiar. Uma combinação com resultados absolutamente surpreendentes.

Práctica TMPI bebés
TMPI niños

Na criança

TMPI permite uma boa avaliação do desenvolvimento neuromotor e sensorial da criança e a deteção de alterações articulares, tecidulares ou cranianas que podem estar a afetar o seu desenvolvimento, a sua aprendizagem, a atenção ou dificuldades comportamentais.

São avaliados aspetos como a coordenação, o equilíbrio, a função cerebelosa, a presença de reflexos primitivos não integrados, etc. Tudo isso conjugado com as possíveis restrições de mobilidade articular ou de tecidos.

TMPI permite restituir a saúde e a mobilidade dos tecidos e sistemas biomecânicos, ativando padrões motores mais corretos e educar os pais para oferecer às crianças os estímulos necessários para o seu desenvolvimento.

Procura fazer formação em TMPI?